Arquitetura Moderna: o que é, história e suas características!

As qualidades estruturais são, na verdade, muitas vezes ocultas ou totalmente compreensíveis apenas por especialistas do setor; as qualidades funcionais são muitas vezes tidas como certas ou óbvias e, embora possam nos impressionar positivamente, deixam de nos impressionar profundamente como a monumentalidade. Por exemplo, podemos ficar impressionados com a conveniência de uma estação de trem ou com a recepção de uma igreja, mas é mais fácil sentirmos a sensação de beleza e grandiosidade dos prédios esculpidos na memória. A iluminação zenital (que vem de cima) pode ser projeto de arquitetura pronto realizada através de uma claraboia, uma abertura que acontece no teto das edificações e geralmente é coberta por um caixilho ou cúpula de vidro. Área de trabalho com madeiras que se dedicada à uma produção mais pesada, executando serviços dentro da construção que exigem experiência, mas que são integrados aos trabalhos civis, como a construção de formas, de estruturas de escoramento, ou também de instalação de portas e janelas, por exemplo. Não é dedicada à fabricação de um objeto, mas sim de um elemento construtivo que esteja integrado à construção como um todo.

Portanto, é um desenho rápido e de traços simples que serve para explicar ou desenvolver uma ideia. Portanto, é um elemento arquitetônico que colabora com o conforto térmico ao imperdir a incidência solar direta nos interiores de um edifício. Sua sustentação ocorre em outras parte da estrutura, por ancoragem ou contrapeso, e não é possível ver nenhum apoio tocando o solo abaixo dela, tornando este espaço completamente livre. Sempre investindo em espaços democráticos que geram impacto visual assim que vistos, o arquiteto segue inspirando especialistas no mundo todo. Com projetos famosos, especialmente em São Paulo, Paulo Mendes da Rocha criou obras que são verdadeiras intervenções modernistas no centro da cidade, como o Sesc 24 de Maio e a Pinacoteca.

As obras geralmente apresentam formato irregular, com janelas em grandes dimensões (meio de obter maior luz natural), e pelo uso de materiais recicláveis. Os desenhos de caráter industrial tinham formas simples, geométricas e, ao contrário da arquitetura clássica, com pouca (ou nenhuma) ornamentação. Etimologicamente, a palavra arquitetura se originou a partir do grego arkhitekton, junção dos termos arkhé ("principal") e tékhton ("construtor" ou "construção"). No entanto, antes de chegar à Língua Portuguesa a palavra foi absorvida pelo latim, architectus. Houve a chamada arquitetura medieval que se desenvolveu a partir do século V, tendo essa se fundamentado em estilos como o romântico, o gótico, também no visigótico, no mourisca, entre outros.

Estilo e linguagem[editar editar código-fonte]

Sesc Pompéia, MASP e a sua preciosa Casa de Vidro são exemplares perfeitos da arquitetura modernista de Lina. Alguns deles como o Conjunto Habitacional Zezinho Magalhães Prado, em Guarulhos e a Sede da FAU – USP. Em sua trajetória, o arquiteto chegou ao cargo de diretor da Escola Nacional de Belas Artes – onde conheceu o aluno Oscar Niemeyer – para ensinar sobre o movimento modernista (que na época não era bem aceito pela comunidade acadêmica).

Qual é a base da arquitetura?

Suas obras se destacam pela originalidade, pela inovação e pela sensibilidade social e cultural. A arquitetura é de grande importância para a sociedade, pois através dela, é possível planejar e projetar espaços que sejam ao mesmo tempo bonitos e funcionais. Ela é a tradução de nossa cultura, história e valores em formas concretas, refletindo quem somos e onde queremos chegar. Alguns exemplos de arquitetura colonial no Brasil incluem a Igreja de Santa Rita em Paraty, o Pelourinho em Salvador, a Igreja de São Pedro em Recife e as residências do município de Paraty. Durante o período colonial, prevaleceu um rigor métrico, com repetição de esquadrias paralelamente nos pavimentos. As ornamentações de palácios e igrejas eram detalhistas, rebuscadas e expressavam as emoções da vida humana.

Arquitetura renascentista[editar editar código-fonte]

As edificações neoclássicas apresentavam plantas simplificadas, eram simétricas, tinham cores suaves, paredes erguidas com processos técnicos avançados, e algumas eram revestidas de materiais nobres, como o mármore. Os artistas dessa região utilizaram muita madeira, pedra sabão e ouro para fazer estátuas e muitas outras ornamentações. As pinturas apresentavam cores fortes, os telhados das edificações tinham muitas águas, e as paredes eram feitas de pedra e cal, taipa ou adobe. As primeiras vilas no Brasil surgiram em 1711, e eram construídas principalmente em taipa de pilão e pau-a-pique. Posteriormente, com a influência estrangeira, adotaram-se alvenarias de pedra e tijolos de adobe, permitindo estruturas maiores, com mais pavimentos e pé-direito alto. O símbolo é formado a partir da união de um esquadro (espécie de régua usada para desenhos com linhas retas precisas) e um compasso.

A arquitetura hoje[editar editar código-fonte]

O Panteão seria sem dúvida todo outro se não estivesse no topo no monte Sainte-Geneviève, não conceberíamos uma Corte de Contas com a arquitetura do antigo palácio d’Orsay, se ela houvesse tido a perspectiva do Sena e das Tulherias. Se vocês habitassem uma vila em anfiteatro como Gênova, veriam de visu isso que vocês podem já constatar na obra de Gauthier, todos os programas que recebem por sua vez uma solução original e local daquela situação muito particular da vila. A composição não se ensina, ela não é aprendida mais que por ensaios múltiplos, exemplos e conselhos, a experiência própria sobrepõe-se à experiência do outro. Examinemos pois aqueles que deverão guiar-lhes, quer se tratem de primeiros ensaios ou de estudos superiores.

Este tipo de construção é, sem dúvida, um dos maiores marcos desse estilo arquitetônico. Cada civilização, em diferentes épocas da história, construiu projetos arquitetônicos com base em elementos próprios. A inspiração para essas particularidades está na cultura, tradição e modo de vida das respectivas sociedades. O paisagismo é a criação de projetos de áreas externas, englobando tudo que interfere na paisagem externa as edificações. Em geral, é associado a parques e vegetação em geral, mas inclui todo o desenho urbano externo - pode estar relacionado ao projeto arquitetônico ou ao urbanístico, ou a ambos, dependendo da escala. O projeto de paisagem pode variar desde a criação de parques e vias públicas até o planejamento de campi e parques corporativos, desde o projeto de jardins até o gerenciamento de grandes áreas selvagens ou a recuperação de paisagens degradadas como minas ou aterros sanitários.