Engenharia Elétrica Ou Eletrônica? Faça A Escolha Certa! Saiba Mais!

O curso geralmente dura 5 anos e a estrutura curricular é predominantemente composta por disciplinas de Matemática, Física, Química e Computação. Realiza vistorias, perícias e avaliações de obras e serviços técnicos e tem a responsabilidade de emitir laudos e pareceres. O estágio e o Trabalho de Conclusão de Curso são obrigatórios ao final da formação.

O engenheiro eletricista trabalha na construção civil com a projeção e instalação de circuitos elétricos para residências, condomínios, prédios comerciais e indústrias. O profissional também pode projetar e fazer a manutenção de plantas dos empreendimentos da construção civil para evitar acidentes ou mau uso da energia elétrica, causando sobrecarga na rede. Essa carreira é voltada para a projeção dos aparelhos eletrônicos e o seu processo de manutenção. Além das tradicionais áreas de transmissão e distribuição de energia elétrica, que absorvem profissionais em todas as regiões do Brasil, há procura crescente por estes engenheiros em centros de pesquisa e desenvolvimento de empresas e indústrias. A nanotecnologia e a microeletrônica são áreas de atuação extremamente promissoras para estes profissionais. Não só para a construção dos sistemas elétricos o engenheiro eletricista pode ser contratado dentro do setor de automação.

Conheça as atribuições da profissão de engenheiro eletrônico, características e funções, e descubra como você pode entrar nesse mercado de trabalho. Vimos que suas áreas de atuação são bem variadas e que é possível associar a carreira em outros setores industriais ou não. O engenheiro eletrônico trabalha em campos bem específicos e mesmo assim bastante corriqueiros em diversos setores da engenharia de uma maneira geral. Seguindo essa base, fizemos um apanhado médio de quanto ganha o profissional em cada um desses níveis. Por sua vez, o engenheiro elétrico de nível Sênior conta com uma média salarial de R$10.544,71. Inicialmente é preciso deixar bem claro que para ser um engenheiro elétrico é necessária formação em um curso de Engenharia Elétrica.

A maior oferta de vagas ainda está concentrada nas regiões Sul e Sudeste, com oportunidades de trabalho em empresas privadas, setores da construção naval, química e de petróleo e gás. A eletrotécnica é a área da Engenharia Elétrica com foco na eletricidade e, provavelmente, a mais conhecida popularmente. O engenheiro eletricista de tal setor trabalha com a criação e manutenção de sistemas elétricos de usinas e redes de distribuição de energia. A Engenharia Elétrica é o ramo da engenharia responsável por gerar, transmitir e distribuir energia elétrica. O engenheiro eletricista é o profissional apto a trabalhar com circuitos e sistemas integrados, sendo de sua responsabilidade etapas como pesquisa, projeção, criação, instalação e manutenção.

O que precisa para ser engenheiro eletrônico?

Redação Indústria Hoje

De acordo com o site de empregos e recrutamento Catho, a média salarial inicial para a área de Engenharia Eletrônica fica em torno de R$ 4 mil. O mercado de trabalho para o engenheiro eletrônico está em expansão nos últimos anos, Projeto rastreadores com salário médio de R$ 10 mil a R$ 20 mil. Os engenheiros eletrônicos encontram vagas em toda a indústria de eletroeletrônicos, de automóveis, de alimentos, de tecidos e roupas e até na indústria agrícola e biomédica.

Grandes obras de infraestrutura, investimentos em energia renovável e a expansão da área de telecomunicações têm contribuído para a crescente demanda por profissionais na área de Engenharia Elétrica. Para ser bacharel em Engenharia Elétrica, é necessário fazer a graduação em uma universidade credenciada pelo MEC e, ao final, registrar-se no Conselho da profissão dentro do seu estado de atuação. Esta profissão é ideal para quem é dinâmico, vive “antenado” com o surgimento de novas tecnologias e considera-se capaz de propor soluções originais para os problemas.

Telecomunicações E Tecnologia Da Informação

No entanto, o foco do estudo é direcionado para a eletricidade em escalas menores, como produtos eletroeletrônicos, circuitos interligados e placas de circuito impresso. Além disso, quem se forma na graduação também está apto para planejar, projetar, instalar, operar e manter instalações elétricas da melhor forma, elaborando projetos e estudos para a conservação e a utilização de fontes alternativas renováveis. As experiências curriculares são enquadradas em sua maioria como disciplinas tradicionais, as quais têm um professor responsável.

A microeletrônica é semelhante à eletrônica, já que ambas são Sistemas Eletrônicos. No entanto, tal área foca na pesquisa, projeto e fabricação de novos materiais, dispositivos avançados, circuitos e sistemas integrados em tamanho reduzido. A necessidade de utilizar formas de energia elétrica mais limpas e eficazes fazem da Engenharia Elétrica uma profissão promissora. O profissional pode trabalhar, por exemplo, com energia solar, hidroelétrica, nuclear, eólica etc. Um profissional graduado em Engenharia Elétrica pode atuar no desenho e na projeção de circuitos integrados destinados a sistemas de computação, independentemente se são hardware ou software.

Engenharia Mecânica

Os salários atrativos e as dezenas de oportunidades no mercado de trabalho têm levado os estudantes para essas profissões. O Brasil apresenta um grande potencial para geração de energia renovável, especialmente em razão da alta incidência solar no território e bons ventos. Muitos investimentos estrangeiros têm sido feitos no país com o objetivo de impulsionar esse setor. No caso da Engenharia Elétrica, a parte específica do curso aprimora os conhecimentos sobre instalação de máquinas elétricas, além de outros assuntos relacionados diretamente à energia. Ao cursar as disciplinas eletivas, a dica é buscar conteúdos do seu interesse nos cursos de Engenharia Mecânica, Engenharia Ambiental, Administração, Economia e Direito.

Deixe um comentário