Enfim, Para Que Serve O Tarot?

Curioso do tarô, o escritor Caio Fernando Abreu, autor de Morangos mofados, conta que na primeira vez em que consultou um tarólogo ficou espantado “porque entre tantas cartas saíam exatamente aquelas cuja interpretação tinha a ver com o que eu estava vivenciando”. O que ele faz, cobrando cerca de 4 mil cruzados a primeira sessão, é dar as cartas. Pois o auto-intitulado professor é um tarólogo, por sinal o mais badalado do Rio, ou seja, um especialista em tarô — o misterioso baralho que, segundo os adeptos, faz as pessoas se conhecerem melhor e a partir daí terem uma boa idéia do que o futuro lhes reserva.

E quando a paixão acaba e o casal se separa, isso significa que nunca existiu a paixão, porque tanto o homem quanto a mulher foram apenas portadores de projeções de seus conteúdos internos. Um dos principais objetivos pelos quais as pessoas buscam as cartas de Tarot é entender que existem pontos positivos e negativos para cada situação vivenciada. Tendo isso em mente, é possível descobrir diferentes formas de conseguir lidar com os principais problemas, de uma maneira mais simples.

Você Já Consultou O Tarot Em Algum Momento Da Sua Vida?

Quanto mais você estudar, melhor em interpretar as cartas do tarot vai ficar. O baralho é dividido em duas categorias que recebem o nome de “Arcanos Menores” e “Arcanos Maiores”.

Benefícios Do Tarot

O fato de que muita gente mais idosa também está adotando as roupas e os hábitos dos moços talvez indique uma tentativa inconsciente de estabelecer contato, em si mesmos, com um potencial heroico não realizado tarot (NICHOLS, 2006, p.48). Foucault (1970, p.11) diz que “através de suas palavras que se reconhecia a loucura do louco; elas eram o lugar onde se exercia a separação; mas não eram nunca recolhidas nem escutadas”.

qual o objetivo do tarot?

O Que É O Tarot?

É nesse sentido que o Tarot, segundo Naiff (2009, p. 24), é uma ferramenta que pode ser usado para orientação pessoal (jogos, oráculos) ou busca do autoconhecimento (estudo, filosofia, meditação). Para os participantes desses grupos, as figuras contidas no Tarô de Marselha representam personagens de diferentes culturas ao longo dos séculos. Os arquétipos foram definidos pelo psiquiatra Carl Gustav Jung como expressões, por meio de imagens, de elementos e experiências comuns entre as pessoas, que se manifestam – por exemplo – nos sonhos, arte, mitos e rituais. Eles formam o inconsciente coletivo – representações coletivas que induzem a interpretações sobre a realidade.

Juliana tem como missão, transformar vidas através da espiritualidade. Trabalha na iQuilibrio desenvolvendo estratégias de conteúdo relevantes, voltados ao esoterismo.

Nesta divisão, os seres humanos são indicados por meio da carta do louco, e as outras 21 cartas representam a evolução que acontece em nossa vida. No entanto, distante de seu âmbito psíquico, tanto o anima quanto animus se apresentam em forma de projeções. Segundo Jung (1964, p. 194), enquanto fenômenos inconscientes, estes arquétipos são responsáveis pelas relações íntimas com pessoas do sexo oposto, como, por exemplo, as paixões.

Portanto, as interpretações podem dizer muito mais sobre sua vida presente, fornecendo informações as quais poderão ou não influenciar seu futuro, do que a ele, de maneira propriamente dita. Antes de começar a falar mais sobre para que serve o Tarot e quais seus objetivos, é importante que você entenda sobre sua estrutura caso você esteja no inicio de sua caminhada nesse maravilhoso mundo do tarot. Os Arcanos Maiores são 22 imagens arquetípicas da sociedade e do imaginário medieval como O Imperador, O Papa eA Roda da Fortuna, por exemplo, que exprimem ideias, forças e grandes possibilidades que a vida oferece. Segundo ele, há dois ou três mil anos surgiram grandes religiões que têm, por sua vez, ramificações internas. Embora sua difusão tenha sido enorme, não eliminaram todas as religiões, crenças ou práticas dissonantes e minoritárias. Enquanto religião é uma ordem de crenças pré-moderna, a tolerância religiosa é uma invenção política moderna.

Em primeiro lugar, é preciso respeitar o tarólogo como um profissional. Por isso, busque referências e marque a consulta, lembrando que ela é paga, por ser um estudo e precisar de tempo e energia para fazer a consulta. Porém, essa prática só ficou conhecida pelo público a partir de uma publicação da Revista Planeta da década de 70 já com temática esotérica, ausente de referências culturais para os brasileiros. O tarot não indica o caminho que você deve seguir, mas opções e reflexões sobre esse caminhar. Na consulta, você pode ter uma pergunta pronta, ou então, pedir uma visão geral da sua vida.

Deixe um comentário